Ame-se

Querer-nos nos faz bem, nos faz felizes. E é o melhor presente que podemos oferecer aos outros...

separador
Ilustração sobre a obra de Carlos Castaneda (Thumbnail). Título: Don Juan Matus; Autor: Martín de Diego Sádaba

Olhe cada caminho de perto e com intenção. Prove-o tantas vezes que considerar necessário. Depois, faça a você mesmo, e a você somente, uma pergunta. É uma pergunta que só se faz a um homem muito velho…. Eu lhe direi qual é: Tem coração este caminho? Todos os caminhos dão na mesma: não levam a nenhuma parte. São caminhos que vão pelo matagal. Posso dizer que na minha vida percorri caminhos longos, longos, mas não estou em nenhuma parte. Se o caminho tem coração é bom; se não, de nada serve. Nenhum caminho leva a nenhuma parte, mas um tem coração e o outro não. Um faz prazerosa a viagem; enquanto você o seguir, será uno com ele. O outro o fará maldizer a sua vida. Um o faz forte, o outro lhe debilita.

Don Juan Matus

Cada vez que releio esta citação do livro “Os ensinamentos de Don Juan”, de Carlos Castaneda, sinto uma profunda emoção. Don Juan era um velho índio yaqui, do deserto de Sonora, no México, herdeiro de uma tradição milenária (a dos índios toltecas), e descreve em poucas palavras algo que continua sendo essencial para qualquer pessoa na nossa sociedade globalizada: é uma verdadeira necessidade vital nos mantermos em contato com a própria essência por meio de atividades que deem sentido a nossa existência. São precisamente essas atividades, as que constituem o “caminho com coração”, as que favorecem nossa evolução ao mesmo tempo que nos permitem experimentar plenitude e bem-estar, inclusive em meio dos inevitáveis problemas que a vida nos enfrenta.

Ilustração sobre a obra de Carlos Castaneda. Título: Don Juan Matus; Autor: Martin de Diego Sádaba
“Don Juan Matus”, ilustração do artista espanhol Martin de Diego Sádaba

Os livros de Carlos Castaneda são parte do meu próprio “caminho com coração”. Eu os li muitas vezes, não só por seus valiosos ensinamentos, mas também porque são muito estimulantes e até divertidos. (Além do mais são fáceis de encontrar na Internet…)

Seguir um “caminho com coração” não significa necessariamente desenvolver uma atividade excepcional, como a de um artista ou um cientista, nem tampouco sermos exitosos da maneira que a nossa sociedade define o que o êxito é. Inclusive um trabalho simples e rotineiro pode ser, talvez transitoriamente, a atividade que torne possível que nós vamos nos desenvolvendo nos aspectos realmente importantes da nossa vida. E à medida em que prestarmos cada vez mais atenção as atividades para as que estamos destinados, aquilo que constitui nossa verdadeira missão na vida irá ocupando “automaticamente” o lugar central que lhe corresponde.

Discurso inspirador de Steve Jobs

Sem nenhuma dúvida Steve Jobs, igual a Don Juan Matus, conhecia a importância de eleger e percorrer um “caminho com coração”, mesmo que logicamente não o chamava dessa maneira.

Quando fazemos aquilo no que acreditamos profundamente e que ao mesmo tempo nos produz uma íntima satisfação, estamos centrados em nós mesmos e não precisamos da aprovação dos demais. Assim, se fortalece a nossa autoestima e a confiança em nós mesmos.

Por último, seguir com convicção nosso próprio caminho não só é bom para nós. Ao percorrer nosso “caminho com coração” também beneficiamos aos demais, porque recebem, então, o melhor que temos para oferecer.

Para colocá-lo em prática

Realmente vale a pena fazer todas as mudanças que sejam necessárias nas nossas vidas para podermos transitar nosso próprio “caminho com coração”, porque quando atuamos para cumprir com a nossa verdadeira missão, alcançamos resultados que de outro modo estariam fora de nossas possibilidades ordinárias:

Quando você estiver entusiasmado “para cima”, mantenha-se ali. E quando você estiver “para baixo”… Tire uma soneca. Ou faça algo para mudar seu estado. O que você pode conseguir quando está “para cima” é mil vezes mais efetivo e benéfico que o que você puder fazer com muito esforço estando fora do seu centro.

Esther Hicks

Ao decidirmos finalmente ocupar nosso autêntico lugar no mundo não só começamos a sermos mais felizes e mais eficientes, mas também outras pessoas e circunstâncias começarão a nos favorecer. E ainda que se apresentem problemas, estaremos melhor dispostos para enfrentá-los e resolvê-los.

Concretamente:

Axel Piskulic

Tradução de Ana Lúcia de Melo

Pareceria que outras pessoas que estão recorrendo seu próprio caminho nos alentam a descobrir o nosso:

Busco meu caminho seguindo meus sonhos.
“Busco meu caminho seguindo meus sonhos.”
Se você não tivesse medo, o que faria?
“Se você não tivesse medo, o que faria?”
Recupere a sua vida!!
“Recupere a sua vida!!”
Compartilhar este artigo no Google +

Se você gostou deste artigo, por favor...

Não se vá sem compartilhá-lo no Facebook, Twitter ou Google+

Não se vá sem deixar seu comentário

Não se vá sem se inscrever grátis por e-mail... Obrigado!

  1. Maria Helena disse:

    “Os ensinamentos de Don Juan”, de Carlos Castaneda, sinto uma profunda emoção. Don Juan era um velho índio yaqui…

    Os ensinamentos dos Índios: Sabedoria!!! Alma!!! Vivência!!!
    Preciosidade!!!

    Namastê_Helena

    E.T. Vou ler mais Carlos Castaneda!!!

  2. Francine disse:

    Adorei só para variar.

    Fazer a vida ter sentido é o que faz valer a pena viver!

line